sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

LIZASOCIAÇÃO



"A escola atual é a escola da vida. Os professores e os pais devem conjugar o pensamento de tal maneira que a criança, em casa, encontre um mestre e, na escola, tenha um pai”. (Fernando Melo Vianna)

Esta semana só foi para adaptação. Não começaram as atividades verdadeiramente pedagógicas. As atividades são mais recreativas e lúdicas do que sistemáticas educativas.

Só que Noninha deixou de ser bebê.

Agora Liz é uma menina com obrigações sociais e as primeiras indicações dão conta que ela as desempenhará com interesse e gosto. Não se importou muito com quem a levou e permaneceu com ela na escolinha. Foi assim tanto com a mamãe quanto com o papai.

Terminado o horário de permanência ela resistiu a deixar a escolinha, sinal de que a adaptação foi concluída e satisfatoriamente.

O que vem com a escola? Regras e conheceres vários. O outro e o espaço para ambos. Modelos, referências, pequenas mazelas, doencinhas, quedas, puxões de cabelos, empurrões, preferências por aqueles ou aquelas. Socialização.

A Diretora nos disse que a escola acolhe até os sete anos, quando a criança sai alfabetizada sabendo inclusive a diferença entre fábula e conto de fadas.

"Os contos de fadas ou contos maravilhosos são uma variação do conto popular ou fábula. Partilham com estes o fato de serem uma narrativa curta cuja história se reproduz a partir de um motivo principal e transmite conhecimento e valores culturais de geração para geração, transmitida oralmente, e onde o herói ou heroína tem de enfrentar grandes obstáculos antes de triunfar contra o mal.
Nos contos, que muitas vezes começam pelo "Era uma vez", para salientar que os temas não se referem apenas ao presente tempo e espaço, o leitor encontra personagens e situações que fazem parte do seu cotidiano e do seu universo individual, com conflitos, medos e sonhos.
A rivalidade de gerações, a convivência de crianças e adultos, as etapas da vida (nascimento, amadurecimento, velhice e morte), bem como sentimentos que fazem parte de cada um (amor, ódio, inveja e amizade) são apresentados para oferecer uma explicação do mundo que nos rodeia e nos permite criar formas de lidar com isso.

Entre os grandes autores, além do irmãos Grimm, encontram-se o francês Charles Perrault, que deu vida à Chapeuzinho Vermelho, Bela Adormecida, Pequeno Polegar e Gato de Botas; Andersen, que nos presenteou com a história do Patinho Feio; Gabrielle-Suzanne Barbot, a Dama de Villeneuvee com a Bela e a Fera e Charles Dickens, com o Conto de Natal e a história de Oliver Twist. No Brasil, a maior conquista foi Monteiro Lobato, cuja a obra ainda hoje serve de base ao início literário de muitas crianças.

Caracteristicamente os contos envolvem algum tipo de magia, metamorfose ou encantamento, e apesar do nome, animais falantes são muito mais comuns neles do que as fadas propriamente ditas. Alguns exemplos: "Rapunzel", "Branca de Neve e os Sete Anões" e "A Bela e a Fera".

As fábulas (do Latim fabula, significando "história, jogo, narrativa", literalmente "o que é dito") são uma aglomeração de composições literárias em que os personagens são animais que apresentam características humanas, tais como a fala, os costumes, etc. Estas histórias terminam com um ensinamento moral de caráter instrutivo. É um gênero muito versátil, pois permite diversas maneiras de se abordar determinado assunto. (Wikipédia)

Pois é, daqui a pouquinho, Liz entrará para o Mundo.

Real.





Até breve.

2 comentários:

  1. Parabéns Liz. Esta semana o Léo também começou sua socialização e ampliação de seu mundo.

    Beijos saudosos.
    Julinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Julinho, agora "começa".
      Forte abraço.

      Excluir